Julgamento contra francesa detida no Irã terminou, diz Justiça iraniana

Teerã, 12 ago (EFE).- O julgamento contra francesa Clotilde Reiss, acusada de participar dos protestos pós-eleitorais no Irã, já chegou ao fim, e a possibilidade de que seja libertada após o pagamento de uma fiança depende do juiz, informou hoje o Poder Judiciário iraniano.

EFE |

Em declarações divulgadas pela agência de notícias local "Fars", o procurador-geral de Teerã, Said Mortazavi, explicou que, embora o juiz autorize a libertação de Reiss, a francesa deverá permanecer no país até a divulgação de sua sentença.

"Até o veredicto, qualquer decisão sobre a liberdade sob fiança ou sobre uma eventual prisão depende do juiz Salavati", disse Mortazavi.

Reiss, de 24 anos, foi detida em 1º de julho no aeroporto Imame Khomeini, de Teerã, quando tentava deixar o país sob a acusação de participar e instigar os protestos que explodiram após a polêmica reeleição do presidente iraniano, Mahmoud Ahmadinejad, em 12 de junho.

A "Fars", que cita fontes próprias não identificadas, assegura que a embaixada da França em Teerã já anunciou que está preparada para arcar com a possível fiança.

Mortazavi também falou sobre o caso da funcionária da embaixada francesa em Teerã, Nazak Afshar, também acusada de participar dos distúrbios.

Afshar, que tem as nacionalidades iraniana e francesa, foi libertada ontem após pagar fiança, mas "o julgamento contra ela não terminou", assegurou o procurador-geral. EFE msh-jm/bba

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG