Julgamento contra Aung San Suu Kyi chega ao último dia

Bangcoc, 28 jul (EFE).- Os advogados da líder do movimento democrático birmanês e vencedora do Prêmio Nobel da Paz, Aung San Suu Kyi, têm uma última oportunidade de argumentar a favor de sua cliente, depois de o juiz do caso ter adiado para esta terça-feira a última fase do julgamento contra ela.

EFE |

A sessão final do processo judicial, realizado em uma prisão de segurança máxima de Yangun, estava prevista para a sexta-feira passada, com a exposição dos argumentos finais de ambas as partes.

No entanto, o juiz adiou para segunda-feira a leitura dos argumentos da acusação e decidiu dar uma nova oportunidade de resposta à defesa hoje, apesar dos advogados de Suu Kyi já terem se manifestado na sexta-feira no tribunal militar especial criado na penitenciária de Insein.

O tribunal deve publicar hoje a data na qual ditará a sentença sobre o caso contra Suu Kyi, acusada de violar as condições da prisão domiciliar que cumpria desde 2003, depois que um cidadão americano pernoitou em sua casa.

Suu Kyi, de 64 anos, pode ser condenada a uma pena máxima de cinco anos de prisão, o que a impediria de participar das eleições que o regime birmanês convocará em 2010, já tachadas de farsa pela dissidência.

O processo judicial contra Suu Kyi foi condenado por Governos de todo o mundo, algo que a Junta Militar birmanesa considera como uma ingerência em seus assuntos internos.

Mianmar é uma ditadura militar desde 1962 e não celebra um processo eleitoral democrático desde 1990, quando o partido de Suu Kyi obteve uma vitória arrasadora que jamais foi aceita pelos generais.

A líder oposicionista passou quase 14 dos últimos 20 anos sob algum tipo de detenção. EFE grc/bba

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG