Juízes europeus determinam que DNA de absolvidos não pode ser mantido

Paris, 4 dez (EFE).- O Tribunal Europeu de Direitos Humanos sentenciou hoje que não se pode manter a ficha genética de um suspeito de um crime se este foi absolvido ou se as acusações foram retiradas.

EFE |

A sentença do tribunal aconteceu por um caso colocado por dois cidadãos britânicos contra o Reino Unido, o único país do Conselho da Europa que mantém as impressões digitais e o DNA de qualquer pessoa suspeita de ter cometido crime.

O tribunal ressalta que, na norma britânica, é "particularmente preocupante o risco de estigmatização" das pessoas não culpadas, que "têm direito de se beneficiar do pressuposto de inocência", e que na prática "são tratados como os condenados". EFE ac/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG