Juízes de Portugal confirmam abuso de crianças na Casa Pia

Segundo Justiça, está provado que 7 acusados abusaram de 32 meninos em orfanato público nos anos 90; caso foi revelado em 2002

iG São Paulo |

Juízes do processo da Casa Pia afirmaram nesta sexta-feira que foi provado que sete acusados abusaram sexualmente de crianças nesse orfanato público de Portugal. A afirmação foi feita durante as primeira horas da leitura da sentença, que encerra um caso de pedofilia revelado em 2002.

AP
Ex-diplomata e embaixador na Unesco Jorge Ritto, réu no escândalo de abuso sexual no orfanato Casa Pia, chega a corte em Lisboa
Os seis homens e uma mulher incluem o ex-apresentador de TV Carlos Cruz e o juiz aposentado Jorge Ritto. Os outros sete processados são o ex-motorista de Casa Pia Carlos Silvino; o ex-fornecedor-adjunto da instituição Manuel Abrantes; o médico João Ferreira Diniz; o advogado Hugo Marçal; e Gertrudes Nunes, dona da casa na qual teriam ocorrido os abusos.

Eles enfrentam centenas de acusações relacionadas ao estupro de 32 meninos na década de 1990. Os garotos, agora com idades entre 16 e 22, residiam no orfanato Casa Pia, administrado pelo Estado na capital portuguesa, Lisboa.

O colégio de juízes do Tribunal Criminal de Lisboa, presidido por Ana Peres, continua com a leitura da decisão do julgamento de mais repercussão na mídia na história de Portugal, mas eles já indicaram que nenhum dos réus será declarado inocente.

Além de abusos sexuais, eles também são acusados de uso indevido de recursos públicos na instituição civil.

O caso de pedofilia da Casa Pia comoveu a opinião pública portuguesa, após a publicação das reportagens que denunciavam duas décadas de abusos sexuais aos menores hospedados na instituição de beneficência com a cumplicidade de seus responsáveis.

*Com BBC e EFE

    Leia tudo sobre: portugalestuproabuso sexualorfanatocasa pia

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG