Juíza que ignorou último recurso de condenado à morte será julgada

A comissão disciplinar de juízes do Texas abriu nesta quinta-feira um processo contra a presidente de um tribunal de apelações que em 2007 recusou-se a analisar o último recurso de um condenado à morte porque a corte fechava às 17H00.

AFP |

A comissão disciplinar acusa a juíza Sharon Keller, que presidia a corte de apelações do Estado de Texas desde 2000, de ter um "comportamento deliberado e obstinado" incompatível com suas funções, o que "gera o descrédito público sobre a instituição judicial".

Após passar pela comissão, o processo contra Keller poderá ser enviado à Suprema Corte do Texas.

Na manhã do dia 25 de setembro de 2007, a Suprema Corte dos Estados Unidos decidiu analisar a legalidade da injeção letal utilizada para executar os condenados à morte.

Os advogados de Michael Richard, que deveria ser executado naquele mesmo dia, às 18H00, iniciaram então uma corrida contra o tempo para redigir um recurso e apresentá-lo à corte de apelações, que fechava às 17H00.

Atrasados por um problema informático, os advogados telefonaram para a corte de apelações para solicitar um prazo de 20 minutos, mas Keller respondeu que o tribunal fechava às 17H00.

Michael Richard foi o último executado antes de uma moratória de sete meses.

lum/LR

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG