Juíza indicada por Obama nega influência racial em decisões

A juíza indicada pelo presidente Barack Obama para a Suprema Corte dos Estados Unidos, Sonia Sotomayor, negou nesta terça-feira em uma audiência para sua confirmação no cargo, que suas decisões tenham qualquer influência racial.

BBC Brasil |


Sotomayor se prepara para testemunhar em audiência
no Senado, nesta segunda-feira/ foto AP

Sotomayor explicou aos senadores do Comitê Judiciário do Senado que não foi feliz em uma declaração que fez em um discurso na Universidade da Califórnia, em 2001. Na declaração, a juíza disse que "uma mulher latina sábia, com a riqueza de suas experiências, poderia, com mais frequência, chegar a uma melhor conclusão" do que um juiz branco do sexo masculino.

Sotomayor disse que tentou fazer "um jogo de palavras" que "falhou". "Foi ruim, pois deixou uma impressão de que acredito que a experiência de vida é o que determina o resultado de um caso, mas, claramente, não é o que faço como juíza", afirmou.

"Quero declarar de forma inequívoca e sem dúvidas: não acredito que qualquer grupo racial, étnico ou de gênero tenha vantagem em um julgamento", disse Sotomayor ao presidente do comitê, senador Patrick Leahy.

"Acredito que todas as pessoas têm oportunidades iguais de ser um juiz bom e sábio, independentemente de sua formação ou experiência de vida."

Maioria democrata

Se sua indicação for ratificada, Sotomayor, cujos pais são porto-riquenhos, será a primeira hispânica a ocupar uma cadeira na corte de mais alta instância do país e a terceira mulher a ter ingressado no tribunal.

Sotomayor também afirmou, neste segundo dia da audiência, que o direito ao aborto é um "precedente consolidado" e que existe o direito constitucional à privacidade nos Estados Unidos.

No primeiro dia de sabatina, na segunda-feira, a juíza afirmou que sua história pessoal é "americana de um modo único".
Reuters

Sotomayor responde às perguntas dos senadores
em audiência de sua confirmação ao cargo

A juíza de 55 anos de idade cresceu em um conjunto habitacional no bairro nova-iorquino do Bronx, mas conseguiu superar as dificuldades financeiras de sua família e estudou em algumas das mais renomadas instituições de ensino americanas, as Universidades de Princeton e Yale.

De acordo com o correspondente da BBC em Washington, Kevin Connolly, Sotomayor deve ser confirmada pelo Senado na Suprema Corte, pois o Partido Democrata do presidente Barack Obama tem a maioria no Comitê Judiciário.E os republicanos, segundo Connolly, relutam em parecer hostis a uma mulher que é vista como uma heroína pela minoria hispânica, cuja importância eleitoral está crescendo nos Estados Unidos.

O novo juiz da Suprema Corte americana deve assumir seu posto quando o tribunal abrir sua sessão de 2009, em outubro.


Leia mais sobre Sonia Sotomayor

    Leia tudo sobre: obamasotomayorsuprema corte

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG