Juíza acusa filho mais novo de Pinochet por crime fiscal

SANTIAGO (Reuters) - Uma juíza chilena acusou formalmente na segunda-feira o filho mais novo de Augusto Pinochet e dois ex-asessores do ditador chileno, morto em 2006, por crimes fiscais vinculados a contas secretas de milhões de dólares. Pinochet morreu aos 91 anos, em dezembro de 2006, sem ter sido condenado por crimes econômicos ligados a contas que mantinha no exterior estimadas em pelo menos 27 milhões de dólares.

Reuters |

A juíza Blanca Rojas tomou decisão contra Marco Antonio Pinochet, o ex-assessor do general Oscar Aitken e a ex-secretária Mónica Ananías, pelos crimes de declarações de impostos incompletas ou falsas.

"Vamos dar partida pedindo a nulidade desta acusação porque se está acusando uma pessoa que não pôde se defender, como a lei indica, no sumário", disse a jornalistas o advogado do filho mais novo de Pinochet, Luis Pacull.

Foram processados pelo caso a viúva de Pinochet, Lucía Hiriart, além de quatro dos cinco filhos do casal e alguns ex-colaboradores, mas logo a Justiça absolveu os membros da família.

Durante a ditadura de Pinochet, umas 3.000 pessoas morreram ou desapareceram, enquanto outras 28.000 sofreram torturas, incluindo a atual presidente Michelle Bachelet.

(Reportagem de Erik López e Mónica Vargas)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG