Juiz proíbe cúpula militar de deixar Honduras

Tegucigalpa - O presidente da Corte Suprema de Justiça (CSJ) e juiz especial, Jorge Rivera, proibiu a Junta de Comandantes das Forças Armadas de sair do país, ao final da audiência pela expatriação do presidente deposto, Manuel Zelaya, anunciaram fontes judiciais.

EFE |

O promotor do caso, Marcio Cabañas, e os advogados de defesa Dagoberto Mejía e Juan Carlos Sánchez confirmaram a jornalistas que Rivera também ordenou que os seis oficiais que integram a Junta de Comandantes se apresentem para assinar todo mês o livro de registro na secretaria da CSJ.

Cabañas disse que "o Ministério Público ainda tem (tempo) para estudar a medida e o termo legal para poder interpor um recurso, se o considerarmos necessário".

Os seis militares se abstiveram de dar depoimento perante o juiz, apesar de se tratar de uma "audiência de declaração de acusado", confirmou Mejía à Efe.

Sánchez apontou que a defesa considera que a medida ditada pelo juiz "é meio termo", comentando que não a compartilha, mas a respeita.

Leia mais sobre: Honduras

    Leia tudo sobre: golpehonduraszelaya

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG