Juiz processa Carlos Menem por concessão de espaço de radiodifusão

Buenos Aires, 23 mar (EFE).- Um juiz argentino processou hoje o ex-presidente Carlos Menem por supostas irregularidades em um contrato de concessão do espaço de radiodifusão à empresa francesa Thales Spectrum em 1997, informaram fontes judiciais.

EFE |

O juiz Norberto Oyarbide ordenou ainda um embargo de 200 milhões de pesos (US$ 54,5 milhões) dos bens do ex-presidente (1989-1999), que foi processado pelo crime de fraude por improbidade administrativa.

"Não se pode imaginar que Carlos Menem, encarregado do cargo controlado, desconhecesse o desequilíbrio existente entre a prestação brindada e a contraprestação recebida pela Thales Spectrum, com o consequente prejuízo ao Estado Nacional", destacou a resolução.

Oyarbide não considerou Menem responsável de "suborno", mas ressaltou que a investigação sobre este delito prosseguirá.

Em dezembro, a Câmara Federal de Buenos Aires confirmou os processamentos do ex-secretário de Comunicações Germán Kammerath e de uma dezena de ex-funcionários e diretores da companhia francesa pelo caso.

A investigação começou em abril de 2004, a partir das declarações de um diretor de uma empresa suíça que disse ter pagado subornos ao Governo de Menem no valor de US$ 25 milhões. EFE cw/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG