Teerã, 20 ago (EFE).- Um juiz ordenou o fechamento temporário do jornal conservador iraniano Kayhan, um dos mais próximos ao Governo, ao qual a oposição reformista denunciou por libelo e difamação, informou hoje a imprensa oficial.

Segundo a televisão em língua inglesa "PressTV", a denúncia foi apresentada por Ali Reza Beheshti, um dos colaboradores mais próximos do líder da oposição reformista, Mir Hussein Moussavi, depois que a citada publicação o acusou de ter ligações com a CIA.

A rede, que cita o advogado Mahmoud Ali Reza Tabatabaie, afirma que um juiz ordenou o fechamento hoje depois que o diretor do jornal, Hussein Shariatmadari, não compareceu pela segunda vez perante o magistrado.

No domingo passado, o Poder Judiciário ordenou o fechamento temporário do jornal reformista "Etemad-e Melli", por onde o clérigo opositor Mehdi Karroubi lançou suas denúncias de abusos sexuais e maus-tratos aos detidos nos distúrbios ocorridos após as eleições iranianas de 12 de junho, nos quais Mahmoud Ahmadinejad foi reeleito.

A acusação foi qualificada de "falsa e sem fundamento" pelas autoridades iranianas, que exigiram que Karroubi apresente provas.

Alguns responsáveis políticos, policiais e religiosos pediram inclusive que o clérigo seja punido, se for comprovado que suas acusações são falsas. EFE jm/an

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.