Juiz ordena detenção de acusados terrorismo na Bolívia

Uma juíza ordenou neste sábado a prisão preventiva em uma prisão pública de La Paz do boliviano Francisco Tadic e do húngaro Elód Toaso, acusados pelo governo de Evo Morales dos crimes de terrorismo e magnicídio, anunciou o procurador Edward Mollinedo.

AFP |

Tadic, ex-militar boliviano, e Toaso são os dois sobreviventes de uma operação policial na quinta-feira na cidade de Santa Cruz (leste), que terminou a morte de três suspeitos a tiros.

A polícia suspeitou que todos estavam envolvidos em um atentado na quarta-feira na casa do cardeal primaz da Bolívia, Julio Terrazas, que não deixou vítimas.

Os dois foram acusados de terrorismo, mas o Poder Executivo destacou que o grupo, que qualificou de "terrorista-mercenário" de linha "fascista", planejou o assassinato do presidente Evo Morales e de seu vice-presidente, além do prefeito opositor de Santa Cruz, Rubén Costas.

Na quinta-feira uma unidade policial boliviana de elite matou a tiros Eduardo Rózsa Flores (boliviano-croata), Magyarosi Artpad (romeno ou húngaro) e Michael Martin (irlandês) em um hotel de Santa Cruz, 900 km ao leste de La Paz.

jac/fp

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG