Juiz neo-zelandês obriga pais a mudar nome bizarro de filha

Um juiz da Nova Zelândia decidiu que os pais de uma menina de nove anos deveriam mudar o nome da criança devido aos constrangimentos pelos quais ela estava passando.

BBC Brasil |

A jovem, chamada Talula Does The Hula From Hawaii (Talula Dança a Hula do Havaí), supostamente tinha tanta vergonha de seu nome que se recusava a divulgá-lo para seus colegas de escola.

De acordo com o juiz Robert Murfitt, o nome ''fazia a criança de tola e representava para ela uma deficiência social, um obstáculo''.

Os pais de Talula estão separados e a criança atualmente se encontra sob a guarda do tribunal neo-zelandês até que ela receba um novo nome.

O juiz Murfitt também expressou preocupação com outros nomes inusitados dados por pais neo-zelandeses, como Violence, Midnight Chardonnay e Number 16 Bus Shelter, além dos gêmeos Benson e Hedges, em homenagem à marca homônima de cigarros.

Ele relatou que, recentemente, lidou com o caso de uma criança que havia sido batizada com um nome baseado na linguagem usada em mensagens de texto de telefones celulares.

Murfitt contou que apenas ter negociado com a mãe conseguiu que a jovem O.crnia passasse a se chamar Oceania.

Em entrevista ao jornal New Zealand Herald, Brian Clarke, o titular do departamento neo-zelandês de Nascimentos, Óbitos e Casamentos, lembrou que a lei do país impede que se batize crianças com nomes considerados ofensivos, que possuem mais de 100 caracteres ou que incluam pontuações, numerais e postos militares.

Entre os nomes rejeitados figuram Fish and Chips, Yeah Detroit, Stallion, Twisty Poi, Kennan Got Lucy e Sex Fruit.

Leia mais sobre nomes

    Leia tudo sobre: bizarro

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG