Juiz manda revistar filial argentina da Siemens por corrupção

Buenos Aires, 15 ago (EFE) - Um juiz da Argentina mandou revistar hoje os escritórios em Buenos Aires da filial local da alemã Siemens em busca de documentos no marco de uma causa pelo suposto pagamento de subornos durante o Governo de Carlos Menem (1989-1999).

EFE |

O processo foi ordenado pelo juiz federal Ariel Lijo, a cargo das investigações sobre supostos pagamentos indevidos por parte da Siemens ao Governo argentino em 1998 para conseguir um milionário contrato para a elaboração de documentos de identidade e passaportes.

A operação de revista, da qual participaram membros da Gendarmaria Nacional, foi realizada nos escritórios que a companhia possui em pleno centro de Buenos Aires a fim de encontrar dados que possam surgir de e-mails ou de outro tipo de documentos, informaram fontes vinculadas à ação judicial.

As fontes não deram outras informações.

Em 2001, o então presidente argentino Fernando de la Rúa (1999-2001) cancelou esse convênio com a Siemens e denunciou que a Administração de Carlos Menem recebeu subornos, o que levou a firma alemã a processar o Governo de Buenos Aires por descumprimento de contrato.

Um juiz de Buenos Aires abriu uma investigação para determinar se o suposto pagamento de subornos por parte da Siemens também ocorreu durante os Governos de Néstor Kirchner (2003-2007) e de sua esposa, Cristina Fernández, que assumiu em dezembro passado. EFE nk/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG