Juiz manda adiar execução de acusado de matar 2 pessoas no Texas

Washington, 17 jun (EFE).- Um juiz americano ordenou hoje, no estado do Texas, o adiamento por tempo indeterminado da execução de um homem condenado por matar duas pessoas em Dallas há quase 20 anos.

EFE |

Fontes disseram que a ordem foi assinada pelo juiz Curt Henderson cerca de uma hora antes de Charles Hood, de 38 anos, ser levado para o pavilhão em que seria executado com uma injeção letal.

Segundo informações, é provável que o adiamento esteja vinculado às denúncias dos advogados de Hood, que disseram que, durante o julgamento, em 1990, existia uma relação romântica entre uma das promotoras e o juiz do caso.

Pouco antes, essa denúncia tinha sido rejeitada por um tribunal de apelações, que baseou sua decisão em "razões técnicas", disseram as fontes.

Os advogados de Hood também afirmaram em outras apelações junto a tribunais federais que os membros do júri não tinham considerado como fatores atenuantes do caso o fato de que Hood tinha problemas mentais e tinha sido vítima de violência durante a infância.

Hood, guarda de um clube noturno, foi condenado por matar a tiros Ronald Williamson e a Tracy Linny, dançarina de um clube noturno de um subúrbio de Dallas. EFE ojl/sc

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG