Juiz espanhol pede a várias instituições dados sobre desaparecidos na Guerra Civil

O juiz espanhol Baltasar Garzón pediu a várias instituições espanholas os dados que possuíam sobre desaparecidos durante a Guerra Civil (1936-1939) e o franquismo (1939-1975), a partir dos quais decidirá se investigará seu paradeiro.

AFP |

O juiz da Audiência Nacional, principal instância judicial espanhola, solicitou informações à abadia do Valle de los Caídos, imenso monumento construído durante a ditadura de Franco no qual estão enterrados os combatentes da Guerra Civil, principalmente os que lutaram pelo general Francisco Franco, mas também os republicanos derrotados.

Com as informações que receber, o juiz decidirá "se admite o trâmite" das ações de dez associações que foram enviadas a ele nos últimos dois anos para que investigue casos de desaparecimentos forçados durante essa época, indicaram fontes judiciais.

A Guerra Civil espanhola, que deixou mais de 500.000 mortos, colocou frente a frente durante três anos as forças de direita, que deram um golpe militar, e os partidários do governo republicano de esquerda.

Os militares de direita venceram a guerra e o general Franco instaurou uma ditadura que durou quase 40 anos.

As famílias das cerca de 5.000 pessoas desaparecidas nessa época exigem informações sobre o destino de seus entes.

esb/dm

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG