A comissão disciplinar dos juízes espanhóis investigará se o juiz Baltasar Garzón ocultou a cobrança de 200.000 dólares durante sua passagem pela Universidade de Nova York em 2005 e 2006.

Essa comissão subordinada ao Conselho Geral do Poder Judicial (CGPJ) abriu diligências depois que o Supremo Tribunal pediu a investigação sobre possível ocultação dessas cobranças por parte do famoso juiz.

Garzón pediu uma permissão para estudar na Universidade de Nova York entre março de 2005 e junho de 2006 como "professor pesquisador". Durante esse tempo, teria mantido seu salário de juiz, enquanto também cobrava salários da universidade.

Caso tenha ocultado esses pagamentos, Garzón pode ter cometido um "erro disciplinar muito grave por faltar com a verdade para a obtenção de uma permissão de estudo", afirma o processo.

str-esb/cn

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.