Juiz equatoriano retira pedido de prisão contra líder da Colômbia

Quando ministro da Defesa, Juan Manuel Santos, atual presidente colombiano, ordenou operação em acampamento rebelde no Equador

Reuters |

Um mandado de prisão do Equador contra o presidente colombiano, Juan Manuel Santos, foi revogado por um juiz nesta segunda-feira, mas o caso sobre um ataque realizado em 2008 no território equatoriano continua em aberto.

Como ministro da Defesa em 2008, Santos deu ordens para uma operação contra um acampamento rebelde colombiano no lado equatoriano da fronteira. Um alto comandante da guerrilha, Raúl Reyes, foi morto na ocasião.

O governo do Equador disse que o bombardeio foi uma violação da soberania do país, e autoridades locais ordenaram a captura de Santos. Mas o juiz do tribunal provincial de Sucumbios, Daniel Méndez, revogou nesta segunda-feira o mandado contra Santos, que foi eleito presidente da Colômbia em junho.

Méndez citou "igualdade judicial" em sua decisão, dizendo que não seria justo prender apenas Santos, considerando que outras autoridades colombianas que estavam envolvidos no caso não estavam sendo alvo de mandados de prisão. "A ordem de prisão contra Juan Manuel Santos foi revogada para oferecer condições iguais", disse o juiz a jornalistas. "Isso não significa que o caso esteja encerrado. O processo continua", resslatou.

O presidente equatoriano, Rafael Correa, tem se aproximado da Colômbia desde que Santos assumiu o poder, no começo do mês, dizendo estar disposto a reestabelecer integralmente as relações diplomáticas entre os países vizinhos.

Santos foi eleito sob a promessa de continuar a repressão colombiana, apoiada pelos EUA, contra as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc).

    Leia tudo sobre: colômbiafarcmanuel santosequador

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG