Juiz dos EUA ordena Cuba a pagar US$ 27 milhões à mãe de preso político

A mãe do preso político cubano Omar Rodríguez Saludes saiu vitoriosa num processo no tribunal de Miami contra o governo de Cuba e o Partido Comunista da ilha, que deverão pagar-lhe 27,5 milhões de dólares por danos causados à sua saúde e outros conceitos, numa sentença que pode abrir caminho a outras causas.

AFP |

O juiz federal americano Alan Gold considerou que Olivia Saludes, mãe de Omar Rodríguez - jornalista da agência Nueva Prensa preso em abril de 2003 em Cuba junto com outros 75 dissidentes -, ficou enferma, além de sofrer de uma profunda angústia gerada intencionalmente pela detenção arbitrária e por tratamentos desumanos, inclusive torturas, aplicados contra seu filho.

A demanda da sra. Saludes, dirigida contra a República de Cuba, o PPC, o líder cubano Fidel Castro, seu irmão, o presidente Raúl Castro e vários ministros, seria a primeira no exterior a reconhecer direitos aos familiares por danos sofridos por causa da situação de presos políticos em Cuba.

O magistrado considerou que a mulher, uma exilada cubana que reside em Kentucky (leste) provou suficientemente os danos infligidos e dispôs que o governo cubano deveria pagar indenização por perdas e danos de 2,5 milhões enquanto o Partido Comunista Cubano (PCC) deveria arcar com o pagamento de 25 milhões de dólares de punição.

O magistrado faz referência à situação sofrida pelo preso político Omar Rodríguez na penitenciária de Agüica (província de Matanzas, Cuba), assinalando que foi golpeado e privado de alimentação, tendo pouco acesso à água potável, à eletricidade e que, apesar de constantes problemas de saúde, não recebe tratamento médico.

jco/mmz/sd

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG