Juiz deixa caso de governador de Pando; transferência de detido é cancelada

LA PAZ - O juiz de La Paz Williams Dávila, que era o responsável pelo caso do governador de Pando, o opositor Leopoldo Fernández, se retirou hoje do processo devido a uma objeção apresentada contra ele.

EFE |

Por conta disso, o magistrado não vai mais seguir a determinação da Corte Suprema de Justiça (CSJ) da Bolívia de mandar Fernández para o Sucre (sul do País).

Apesar de ter dito à imprensa que já havia ordenado a transferência de Fernández, Dávila decidiu deixar o caso após a impugnação apresentada por Mari Castro, advogada de duas vítimas dos confrontos de Pando.

A profissional explicou que pediu o afastamento do juiz porque ele havia falado "com os meios de comunicação" e dito "que não havia outra alternativa senão cumprir" o pedido do Supremo.

Esta semana, a CSJ, que tem sua sede em Sucre e é majoritariamente integrada por opositores ao Governo de Evo Morales, ordenou a transferência do governador de Pando para a cidade de Sucre e a abertura de uma investigação sobre a conduta de Dávila, suspeito de ter cometido prevaricação ao deter uma autoridade que goza de foro privilegiado.

No momento, Fernández está preso preventivamente em uma penitenciária de La Paz, enquanto é investigado seu suposto envolvimento na morte de dois jovens estudantes durante os confrontos registrados na semana passada.

Por sua vez, o Governo anunciou que ele permanecerá "confinado" em La Paz por ter desacatado o estado de sítio decretado em sua região após os graves choques entre governistas e opositores.

Leia mais sobre: conflitos na Bolívia

    Leia tudo sobre: pando

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG