Juiz de Nova York nega processo de funcionária da ONU contra Ruud Lubbers

Nova York, 1 mai (EFE).- Um juiz nova-iorquino negou um processo apresentado por uma cidadã americana, funcionária das Nações Unidas, por assédio sexual contra o ex-primeiro-ministro holandês e ex-Alto Comissariado da ONU para os Refugiados, Ruud Lubbers.

EFE |

Em seu processo, apresentado em 2005, a mulher acusava, além de Lubbers, outros responsáveis da organização, todos eles com imunidade diplomática.

A porta-voz da ONU, Marie Okabe, se recusou hoje a comentar sobre essa decisão.

O magistrado americano considerou, segundo texto de sua autoria, que não poderia decidir sobre assuntos relacionados a funcionários que estejam vinculados diretamente com organizações que sejam imunes, como ocorre nesse caso.

Ruud Lubbers renunciou em fevereiro de 2005, depois que uma funcionária do Alto Comissariado da ONU para os Refugiados (Acnur), com sede em Genebra, o denunciou por assédio sexual e intimidação.

Depois da denúncia contra Lubbers, Annan ordenou o Escritório de Serviços de Supervisão Interna da ONU investigar o assunto e, após analisar as conclusões do relatório, defendeu que "não havia provas" das acusações e por isso considerava o caso encerrado. EFE emm/bm/fb

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG