Juiz chama cúpula militar hondurenha a depor sobre Zelaya

Tegucigalpa, 11 jan (EFE).- O presidente da Suprema Corte de Honduras, Jorge Rivera, convocou hoje os membros da Junta de Comandantes das Forças Armadas a falar na próxima quinta-feira sobre a expulsão do deposto Manuel Zelaya do país.

EFE |

Juan Carlos Sánchez, advogado dos militares, disse a jornalistas que Rivera, na condição de "juiz natural" do caso, aceitou o pedido da defesa para que eles se apresentem voluntariamente para depor.

Com isso, explicou Sánchez, o magistrado se absteve de ordenar a captura dos militares, como pediu o Ministério Público (MP) na quarta-feira passada, pelos crimes de abuso de autoridade e expatriação.

Os militares expulsaram Zelaya para a Costa Rica em 28 de junho de 2009, mesmo dia em que o então presidente foi derrubado do poder.

A Junta de Comandantes das Forças Armadas é integrada pelo chefe e o subchefe do Estado-Maior Conjunto, generais Romeo Vásquez e Venancio Cervantes.

Além disso, conta com os chefes do Exército, general Miguel Ángel García Padgett; da Força Aérea, general Luis Javier Prince, e da Força Naval, contra-almirante Juan Pablo Rodríguez, e o inspetor geral das Forças Armadas, general Carlos Cuéllar.

Zelaya, que desde setembro passado está refugiado na Embaixada do Brasil em Tegucigalpa, considera que o MP pretende com este caso encobrir a verdade do ocorrido em junho de 2009 e deixar os militares impunes. EFE lam/rr

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG