Juiz canadense declara culpado acusado de genocídio em Ruanda

Toronto (Canadá), 22 mai (EFE).- Um tribunal canadense declarou hoje o antigo comandante hutu Desire Munyaneza culpado de genocídio, crimes de guerra e crimes contra a humanidade durante o massacre de tutsis cometido em 1994 em Ruanda.

EFE |

A sentença, segundo informa a imprensa local, será divulgada em setembro próximo.

Munyaneza, de 42 anos de idade e filho de um rico homem de negócios ruandês, é a primeira pessoa a ser condenada no Canadá sob a Lei de Crimes contra a Humanidade e Crimes de Guerra, em vigor desde 2000.

O juiz do Tribunal Superior de Justiça de Montreal, André Denis, disse que Munyaneza é culpado de sete acusações de genocídio, crimes contra a humanidade e crimes de guerra por sua participação em centenas de violações e assassinatos durante o genocídio ruandês.

Entre 800 mil e um milhão de pessoas foram assassinadas em 1994 em Ruanda por milícias após o assassinato do presidente hutu do país.

Em 1997, Munyaneza chegou ao Canadá procedente de Camarões e solicitou refúgio em Montreal utilizando um passaporte falso. Seu pedido foi inicialmente rejeitado pelas autoridades canadenses, em 2000.

Em 2005, Munyaneza foi detido após ser identificado por integrantes da comunidade ruandesa em Montreal.

Em março de 2007, começou seu julgamento, que durou mais de dois anos, e durante o qual depuseram 66 testemunhas que em muitos casos mantiveram as identidades em segredo por temerem represálias. EFE jcr/rr

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG