BUENOS AIRES (Reuters) - Um tribunal argentino ordenou nesta terça-feira a ambientalistas que bloqueiam há mais de três anos uma ponte fronteiriça com o Uruguai que permitam o livre trânsito e encerrem o protesto, antes que as autoridades considerem a necessidade de retirá-los a força.

Os ambientalistas responderam que manterão sua postura e que decidirão os passos a seguir numa assembleia a ser realizada na quarta-feira.

" /

BUENOS AIRES (Reuters) - Um tribunal argentino ordenou nesta terça-feira a ambientalistas que bloqueiam há mais de três anos uma ponte fronteiriça com o Uruguai que permitam o livre trânsito e encerrem o protesto, antes que as autoridades considerem a necessidade de retirá-los a força.

Os ambientalistas responderam que manterão sua postura e que decidirão os passos a seguir numa assembleia a ser realizada na quarta-feira.

" /

Juiz argentino ordena liberação de ponte fronteiriça com Uruguai

BUENOS AIRES (Reuters) - Um tribunal argentino ordenou nesta terça-feira a ambientalistas que bloqueiam há mais de três anos uma ponte fronteiriça com o Uruguai que permitam o livre trânsito e encerrem o protesto, antes que as autoridades considerem a necessidade de retirá-los a força.

Os ambientalistas responderam que manterão sua postura e que decidirão os passos a seguir numa assembleia a ser realizada na quarta-feira.

Reuters |

BUENOS AIRES (Reuters) - Um tribunal argentino ordenou nesta terça-feira a ambientalistas que bloqueiam há mais de três anos uma ponte fronteiriça com o Uruguai que permitam o livre trânsito e encerrem o protesto, antes que as autoridades considerem a necessidade de retirá-los a força.

Os ambientalistas responderam que manterão sua postura e que decidirão os passos a seguir numa assembleia a ser realizada na quarta-feira.

"Não vamos acatar a decisão", disse Luis Molinuevo em declarações à televisão.

Grupos de ambientalistas mantêm o acesso interrompido como forma de protesto contra uma empresa de celulose instalada pela finlandesa Botnia no lado uruguaio de um rio na fronteira, o que levou a uma disputa diplomática entre Argentina e Uruguai no tribunal internacional de Haia.

A corte internacional decidiu que o Uruguai violou artigos de um tratado que protege o rio fronteiriço, mas permitiu à fábrica continuar funcionando, pois não encontrou elementos para provar a contaminação.

A ponte liga as cidades de Gualeguaychú, na Argentina, e Fray Bentos, no Uruguai.

(Reportagem de Walter Bianchi)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG