FEDERAL WAY, Washington - Um juiz decidiu que a mulher do subúrbio de Seattle que registrou seu pastor alemão para votar já passou tempo demais sob os uivos.

Jane Balogh foi acusada de dar declarações falsas mas fez um acordo no ano passado.

Um juiz do condado de King abandonou a acusação na segunda-feira depois que Balogh mostrou que ela havia pago US$240 em custos pelo processo e completado o serviço comunitário obrigatório.

Balogh diz que registrou seu cachorro Duncan como eleitor para protestar uma falha na lei que segundo ela torna possível o registro de eleitores não existentes.

Ela diz não ter escondido sua ação, dizendo a muitas autoridades eleitorais que havia registrado seu cachorro.

Além disso, a mulher afirma que Duncan nunca votou.

Leia mais sobre votação

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.