Jovens podem ser condenados à morte na Malásia por ritual violento

Três jovens podem ser condenados à morte na Malásia por terem causado a morte dos pais de um deles e deixado uma jovem em estado grave durante um ritual para curar vícios e doenças. Os pais de Muhammad Nizam foram mortos após participar voluntariamente do ritual em família, no início deste mês.

BBC Brasil |

Nizam e dois primos foram acusados formalmente na terça-feira. O tribunal ouviu como o casal foi convencido a participar do ritual, que envolve espancamento, para se livrar do vício de fumar.

A outra vítima, identificada como a irmã mais jovem dos primos, também ficou seriamente ferida e permanece hospitalizada. Ela estaria procurando a cura para um problema no fígado.

A juíza do caso ordenou que os jovens passem por exames psiquiátricos no próximo mês. A previsão é que o julgamento comece em meados de novembro.

O ritual ocorreu durante o feriado muçulmano do Eid, que marca o fim do Ramadã. As crenças superticiosas são comuns entre os muçulmanos da Malásia, e também entre as comunidades chinesa e indiana, mas esta é a primeira notícia nos últimos tempos de um ataque ritualístico tão violento.

Um jornal local disse que alguns integrantes da família se uniram a um culto proibido conhecido como Al Arqam, que, segundo o governo, prega um islamismo que se desvia dos padrões tradicionais.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG