Jóvens peregrinos se reúnem a Bento XVI na Austrália

Centenas de milhares de jovens se renderam nesta semana na Austrália a Bento XVI, o Papa conservador e sóbrio que soube conquistar a juventude, depois de assumir a missão exercida pelo carismático João Paulo II, criador das Jornadas Mundiais da Juventude.

AFP |

"Bento, Bento, Bento", ouvia-se constantemente da boca de milhares de peregrinos nas ruas de Sidney, onde o Papa reuniu 225.000 pessoas de 169 países diferentes.

O chefe espiritual da Igreja católica foi saudado por meio milhão de pessoas na baía de Sydney, a qual sulcou a bordo de um yatch, num país onde os católicos representam apenas 27% da população.

Bento XVI, que durante 23 anos demonstrou firmeza na Congregação para a Doutrina da Fé, encerra as Jornadas Mundiais da Juventude (JMJ) neste domingo com missa no hipódromo de Sidney para a qual são esperadas 500.000 pessoas.

Estas são as segundas JMJ às quais assiste o Papa alemão de 81 anos, depois de ter participado das de Colônia, Alemanha, em agosto de 2005.

Os peregrinos que estão em Sydney aproveitam qualquer oportunidade para demonstrar afeto a Bento XVI, ou sua devoção com imagens em camisetas ou com o nome do Papa gravado em cachecóis, jaquetas ou chapéus.

"Vi o sorriso em seu rosto. Esta é a segunda vez que me encontro com ele, e constatar essa alegria me enche de força para seguir pelo caminho do Senhor", desabafou nesta quinta-feira à AFP o seminarista dominicano Stalin Cárdenas, evidentemente emocionado depois de ter observado o Papa no evento de boas-vindas.

"É impressionante. É como sentir emoção e nervosismo", tentou explicar a peregrina americana Brittany Vanoverbeke.

O Papa ofereceu nesta quinta-feira aos peregrinos o que considera a resposta a um mundo marcado pelo consumismo e o relativismo e que desperdiça os recursos naturais: o caminho de Cristo.

Até este domingo, quando finaliza o encontro de peregrinos, o Papa teve agenda cheia: reunião com representantes de diversas correntes cristãs, visita a jovens enfermos e uma via-crúcis no centro de Sydney.

Enquanto isto, as ruas da maior cidade da Austrália foram tomadas pelos jovens peregrinos, dedicados a múltiplas atividades relacionadas à fé e à catequese, mas também com espaço para a diversão - uma grande oferta de concertos e espetáculos de dança tradicional do Pacífico.

du/app/sd

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG