Jovens franceses voltam a protestar por morte em prisão

LYON, França (Reuters) - Jovens da cidade de Firminy, no sudeste da França, queimaram carros e atacaram lojas pela terceira noite consecutiva na quinta-feira em protesto pela morte de um jovem em uma delegacia de polícia. Os ataques começaram tarde da noite na quinta-feira, após cerca de 200 pessoas terem se reunido diante da casa da família de Mohamed Benmouna, morador da cidade de 21 anos que morreu na quarta-feira. De acordo com a polícia, ele morreu após uma tentativa de suicídio.

Reuters |

Cerca de 150 policiais antimotim, com ajuda de um helicóptero, enfrentaram os manifestantes no centro da cidade, depois que os jovens colocaram fogo em uma padaria, uma farmácia e várias lojas.

As grades de metal que protegem as lojas, e os jovens atirando pedras, dificultaram o trabalho do Corpo de Bombeiros para apagar o fogo, disseram autoridades.

A polícia afirmou que Benmouna usou as cordas de um colchão para se enforcar na noite de quarta-feira e entrou em coma, mas a família do jovem não acredita nessa versão.

Eles iniciaram um processo na Justiça na quinta-feira para esclarecer as circunstâncias da morte, mas pediram aos manifestantes que mantenham a calma.

Uma autópsia confirmou que ele morreu de sufocação e que seu corpo não mostrava sinais de violência, de acordo com a promotoria pública de Saint-Etienne, a maior cidade mais próxima de Firminy.

Nove pessoas foram presas na quarta-feira após protestos noturnos na terça-feira, quando Benmouna ainda estava vivo, mas em coma após o incidente.

(Reportagem de Catherine Legrange)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG