Jovem que matou 2 mulheres em boate no Oregon era esquizofrênico

Washington, 5 fev (EFE).- O jovem que assassinou uma estudante peruana e outra italiana na saída de uma boate do Oregon sofria de esquizofrenia e escreveu em seu blog que odiava as adolescentes populares, revelam as investigações.

EFE |

A edição eletrônica do "Statesman Journal", do Oregon, afirma que Erik Ayala, de 24 anos, que cometeu suicídio após o ataque, já tinha tentado se matar com uma overdose de medicamentos quando estudava no ensino médio e foi diagnosticado com esquizofrenia.

A Polícia investiga também se Ayala ameaçou seus colegas do instituto McNary High School. Testemunhas afirmam que ele teria dito que levaria uma arma para a aula, informou o detetive Ken Whattam.

O policial explicou que o jovem foi rapidamente hospitalizado após a tentativa de suicídio e esteve um mês em tratamento, mas se desconhece se recebeu ajuda médica posteriormente.

Desde o ensino médio Ayala demonstrava aversão às pessoas às quais qualificava de "falsas" e "adolescentes populares", segundo escreveu em seu blog pessoal.

Mesmo assim, segundo a chefe de Polícia de Portland, Rosie Sizer, nada no passado de Ayala permitia prever o episódio de 24 de janeiro, quando o jovem começou a atirar indiscriminadamente contra um grupo de adolescentes na porta de uma discoteca para menores de 21 anos.

Ayala assassinou Ashley Lauren Wilks, de 16 anos, e Marta Paz de Noboa, uma peruana de 17 anos, que estava em Portland fazendo um intercâmbio, e feriu outras sete pessoas antes de cometer suicídio.

Os relatórios toxicológicos indicam que, no momento do tiroteio, Ayala não tinha consumido drogas ilícitas, mas foi encontrada em seu sangue benzodiazepina, um sedativo que costuma ser usado contra a ansiedade.

A Polícia está analisando o computador do jovem, assim como a nota na qual pedia desculpas à família, aos amigos e especialmente a seu colega de quarto, a quem deixou o carro e o PlayStation 3.

"Talvez nunca saibamos quais foram as razões que levaram Ayala a disparar contra um grupo de inocentes e, depois, tirar a própria vida", disse Whattan. EFE elv/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG