Jovem que ameaçou filho de Uribe pelo Facebook desiste de acordo judicial

Bogotá, 30 dez (EFE).- O universitário colombiano que criou na rede social Facebook o grupo Me comprometo a matar Jerónimo Uribe, filho do presidente do país, Álvaro Uribe, desistiu hoje de um acordo judicial alcançado na terça-feira, informou sua defesa.

EFE |

O estudante Nicolás Castro, que teria ameaçado o filho do governante pelo Facebook, divulgou a decisão à imprensa por meio de um comunicado no qual se declara disposto a continuar com o processo penal.

"Hoje leio no jornal 'El Tiempo' que o porta-voz da suposta vítima, advogado Jaime Lombana, considerou como ameaça o fato investigado. E, além disso, o considerou um erro, ratificando a denúncia penal original e desvirtuando as acusações da Promotoria", diz o comunicado.

"Instruí meus advogados para que continuemos no processo e sigamos adiante com a defesa", aponta o comunicado de Castro.

O estudante está preso em Bogotá. Ele foi detido no último dia 1º após investigações policiais que contaram com a colaboração do FBI (Polícia federal americana) depois de criar o polêmico grupo no Facebook.

O grupo foi formado, segundo sua descrição, "para aqueles que querem vingar-se do velhaco tirano, governante ilegítimo, genocida, covarde, monstro, chamado Álvaro Uribe Vélez, assassinando seu não menos criminoso e não menos bárbaro filho Jerónimo Alberto Uribe".

No pré-acordo com a Promotoria, o estudante assumia ter cometido crimes pelos quais poderia pegar mais de três anos de prisão, segundo fontes judiciais. EFE rrm/bba

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG