Jovem que agrediu Papa fará sete dias de tratamento obrigatório

Susanna Maiolo, a jovem aparentemente desequilibrada que agrediu o Papa Bento XVI antes da Missa do Galo, na quinta-feira, receberá tratamento obrigatório e ficará isolada durante uma semana, informou a imprensa local.

AFP |

  • Mulher que derrubou papa diz que não queria machucá-lo
  • http://images.ig.com.br/publicador/ultimosegundo/294/43/43/544380.icones___video_11_19.png Papa é derrubado por mulher antes da Missa do Galo; assista
  • A ítalo-suíça de 25 anos foi transferida na sexta-feira da ala psiquiátrica do hospital romano Santo Spirito, onde foi levada após o incidente, para a do hospital Angelucci de Subiaco, 70 km a leste de Roma, indicou a agência italiana de notícias.

    Policiais vigiam a entrada do hospital e o acesso à ala onde Maiolo está internada só é autorizado aos familiares dos pacientes.

    O pai e a irmã de Maiolo visitaram o hospital na manhã deste sábado. Eles chegaram da Suíça na noite de sexta-feira.

    Os familiares da jovem disseram temer a repercussão na imprensa mundial do ato de Susanna, e por isso os médicos decidiram isolá-la.

    O tratamento médico obrigatório é exigido quando a pessoas que sofre de graves distúrbios psíquicos se recusa a fazer o tratamento necessário. A lei determina que a decisão de submeter o paciente ao tratamento obrigatório é revisada a cada sete dias.

    A polícia revistou o quarto ocupado por Maiolo em Roma e não encontrou nada relevante para o caso.


    Leia mais sobre papa Bento 16

      Leia tudo sobre: itáliapapa

      Notícias Relacionadas


        Mais destaques

        Destaques da home iG