Jovem neofascista que atacou homem por causa de cigarro é detido na Itália

Roma, 4 mai (EFE).- Um jovem neofascista procurado por deixar gravemente ferido um homem que não quis lhe dar um cigarro em Verona (nordeste da Itália) se entregou hoje à Polícia italiana.

EFE |

Após o caso, que teve grande repercussão na Itália, a Polícia iniciou uma intensa busca do jovem e de seu grupo. O agressor que se entregou hoje tem 19 anos, e, após confessar o envolvimento nos fatos e ser escutado pelo juiz, foi preso.

O grupo supostamente responsável pelo ataque é formado por outros dois jovens já identificados, que são procurados fora do país, enquanto a identidade dos demais membros permanece desconhecida.

O agredido, Nicola Tommasoli, de 29 anos, permanece na unidade de terapia intensiva de um hospital de Verona desde a noite de 1º de maio, quando aconteceu a agressão.

O detido já havia cometido anteriormente agressões de cunho racista e atos violentos em estádios de futebol, segundo a imprensa local.

O ataque aconteceu de noite, quando Tommasoli e outros dois amigos retornavam ao seu automóvel, no centro de Verona, e encontraram o grupo, que pediu um cigarro, que foi negado.

A recusa teve a reação violenta como resposta, na qual o mais afetado foi Tommasoli, agredido com socos e chutes que lhe deixaram inconsciente, enquanto seus dois amigos sofreram ferimentos leves.

O líder do Partido Democrata, Walter Veltroni, se referiu hoje a estes fatos, e disse que este "terrível assunto" abordado, depois da confissão de um dos agressores, ganhou características "ainda mais inquietantes".

"Trata-se de uma agressão do tipo neofascista, que não pode e não deve ser subestimada", afirmou.

Neste sentido, indicou que existem muitos grupos deste tipo na Itália, "e isso é mais perigoso em um clima cultural e político no qual vêm se afirmando princípios de intolerância e ódio". EFE cr/bm/gs

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG