Jovem marroquina nega relações sexuais com Berlusconi

Um dia após informação de que premiê italiano é investigado por incitação à prostituição, jornal divulga entrevista com jovem

iG São Paulo |

A jovem marroquina Ruby, que esteve em festas privadas de Silvio Berlusconi quando era menor de idade, nega ter mantido relações sexuais com o primeiro-ministro italiano.

A negativa foi feita um dia depois da informação de que o governante é investigado por suposta incitação à prostituição de menores e por corrupção. As informações sobre as informações foram divulgadas após a Corte Constitucional da Itália ter reduzido a imunidade judicial de Berlusconi na quinta-feira.

Em entrevista publicada neste sábado pelo diário "La Repubblica", a protagonista do escândalo sai em defesa de Berlusconi e reitera o que já disse em várias ocasiões: que mentiu sobre sua idade ao comparecer às festas do político.

"Mas que prostituição? Silvio me deu 7 mil euros só porque lhe pedi ajuda para encontrar trabalho. O resto são mentiras", comenta Ruby, cujo nome verdadeiro é Karima el Mahroug.

A jovem marroquina, que completou 18 anos em novembro, afirma que não voltou a falar com o primeiro-ministro. Ruby diz que esteve três vezes na mansão que Berlusconi tem em Arcore - localidade próxima a Milão -, mas que nessas festas sempre havia dezenas de meninas "belíssimas" e ela nem chegou a fazer nada.

O escândalo envolvendo a jovem veio à tona em outubro, quando a imprensa italiana noticiou o caso de Ruby, jovem marroquina que teria participado de festas ousadas.

Presa pela polícia após uma acusação de roubo, ela teria contado à polícia detalhes sobre sua participação em comemorações em Villa Arcore, a residência privada de Berlusconi perto de Milão. Na época, a jovem negou ter tido relações sexuais com o premiê.

De acordo com a imprensa italiana, as autoridades investigam se Berlusconi cometeu abuso de poder ao pressionar a polícia para que libertasse Ruby da prisão. A agência Reuters e o jornal "Corriere della Sera", porém, disseram que também está sendo investigado se Berlusconi teve relações com a jovem.

Em depoimento a juízes milaneses, a marroquina afirmou que em 2009 esteve várias vezes na residência do premiê em Arcore, juntamente com outras jovens para a ‘brincadeira’ do ‘bunga-bunga’.

Segundo Ruby, o estilo de festa é africano e teria sido aprendido pelo premiê com o líder Muamar Kadafi, que gostava de fazê-lo em seu harém. No ‘bunga-bunga’ as moças tiram a roupa, dançam, se beijam e tomam banho para ‘divertir’ um grupo de convidados.

"Sinto muito por tudo o que aconteceu. Sinto muito, sobretudo porque eu envolvi pessoas que me ajudaram sem pedir nada em retorno", declarou Ruby, na época, à agência Ansa.

*Com EFE, Reuters, BBC e Ansa

    Leia tudo sobre: berlusconiitáliarubyescândalo sexualinvestigação

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG