Jovem é queimada viva em Papua Nova Guiné

Sidney - Uma jovem de entre 16 e 20 anos foi presa nua junto a um tronco e queimada viva em uma cidade do interior de Papua Nova Guiné, um país onde as mulheres acusadas de praticar adultério ou ter aids são assassinadas em rituais de magia negra, informa hoje a imprensa local.

EFE |

Testemunhas explicaram que a jovem foi amarrada junto a uma pilha de troncos com os olhos vendados e amordaçada, antes de ser borrifada com gasolina e queimada ontem, em Mount Hagen, a terceira cidade mais povoada do país.

"Não encontro palavras para descrever o incidente, mas é um ato de barbárie", disse o chefe policial Simon Kauba.

O vírus da aids é um estigma nas zonas montanhosas de Papua, onde a doença é encarada a partir de uma perspectiva supersticiosa.

A imprensa publicou casos de doentes enterrados vivos por seus parentes perante o temor de que contraíssem o vírus. Por essa e outras razões, a maioria dos portadores de HIV escondem sua condição, contribuindo para estender a epidemia.

Cerca de 2% de uma população de seis milhões de pessoas é portadora da doença em Papua, embora se estima que a porcentagem pode subir para 5% antes de 2012.

Leia mais sobre: Nova Guiné

    Leia tudo sobre: guiné

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG