Um jovem de 17 anos foi acusado pela morte de um policial católico no dia 9 de março na Irlanda do Norte, anunciou nesta segunda-feira uma porta-voz da polícia de Belfast.

"Um jovem de 17 anos será processado pelo assassinato do agente da polícia Stephen Carroll, por posse de arma de fogo com intenção de atentar contra a vida, por participação em organização criminosa - o IRA da Continuidade - e por coletar informações úteis para terroristas", declarou a porta-voz.

Stephen Carroll, um policial católico de 48 anos, foi assassinado em Craigavon, um bastião republicano situado a sudoeste de Belfast.

Este homícidio foi reivindicado pelo IRA da Continuidade, grupo dissidente do Exército Republicano Irlandês (IRA), contrário ao processo de paz.

O jovem, cuja identidade não foi revelada por razões legais, será ouvido por um juiz nesta terça-feira.

Este homicídio, o primeiro de um membro da força policial em mais de dez anos na Irlanda do Norte, ocorreu dois dias após o atentado que matou dois soldados britânicos em um quartel de Antrim, a noroeste de Belfast.

O ataque ao quartel foi reivindicado pelo grupo republicano dissidente IRA Autêntico, também oposto ao processo de paz.

Esta série de mortes traz de volta o fantasma do conflito na Irlanda do Norte, que terminou em 1998 com um governo compartilhado por republicanos católicos e unionistas protestantes.

afp/LR

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.