Jovem com machado e bombas fere alunos em escola na Alemanha

BERLIM - Um estudante alemão armado com uma faca, um machado e coquetéis molotov feriu dez pessoas nesta quinta-feira, entre elas duas gravemente, em sua escola, em Ansbach (sud), antes de ser neutralizado a tiros pela polícia.

Redação com agências internacionais |

Este ataque trágico, como qualificou o ministro regional do Interior de Baviera Joachim Herrmann, lembrou uma explosão de violência em outro estabelecimento de ensino, que deixou 16 mortos há seis meses na Alemanha.

Em Ansbach, perto de Nuremberg, dois estudantes foram gravemente feridos neste ataque, por volta das 08h30 (02h30 de Brasília), no terceiro dia de aula depois das férias de verão.


Policial observa escola que sofreu o ataque na Alemanha / AP

Uma foi ferida na cabeça com um machado ou uma faca. Segundo um porta-voz da polícia, os médicos dizem que ela não corre risco de morrer. Outra estudante está com queimaduras.

O agressor, um jovem de 18 anos, que não tem antecedente na polícia, foi atingido por cinco tiros pelas polícia, quase dez minutos após o início do ataque. Ele foi internado em seguida no hospital, em estado grave, mas também não deve morrer.

Sete outros estudantes e um professor foram levemente feridos.

O alerta foi dado no momento em que o jovem agressor, aluno do colégio, acendeu um coquetel molotov dentro do estabelecimento.

Ao chegar ao local, a polícia encontrou no corredor um jovem suspeito armados com duas facas, um machado e coquetéis molotov, segundo Herrmann. Como o jovem homem os ameaçou, os policiais atiraram.

"Ele foi operado e não pode ser interrogado ainda", destacou um porta-voz da polícia, Udo Dreher. Os investigadores não tinham nenhuma informação sobre eventuais relações entre o agressor e suas vítimas.

O colégio foi inteiramente esvaziado para que a polícia procurar outras armas ou explosivos. Uma célula de apoio psicológico foi adotada para ajudar os alunos chocados.

Outros ataques

Este drama, que ocupou as capas dos jornais internet e dominou o noticiário na televisão, trouxe na Alemanha a lembrança da matança em uma escola de Winnenden, perto de Stuttgart, em 11 de março.

Na ocasião, Tim Kretschmer, 17 anos, matou em seu antigo colégio nove estudantes e três professores, mais três pedestres, e se suicidou.

Como a matança na escola de Erfurt em abril de 2002 - que fez 17 mortos, entre eles o assassino de 19 anos, este drama provocou uma imensa comoção na opinião pública alemã, e provocou um debate sobre a melhor maneira de prevenir explosões de violência como estas.

* Com AFP

Leia mais sobre Alemanha

    Leia tudo sobre: alemanha

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG