Jovem americano é indiciado por ameaçar matar Obama

Um jovem morador de Colorado (oeste dos EUA) foi indiciado por ter ameaçado de morte o presidente Barack Obama, anunciou nesta quinta-feira o Ministério Público federal em Denver, capital do Estado.

Redação com agências internacionais |

Em 12 de janeiro, oito dias antes da posse do primeiro presidente negro da história dos Estados Unidos, Timothy Ryan Gutierrez, 20 anos, enviou um e-mail ao escritório da Polícia Federal americana (FBI) em Washington.

Segundo a ata de acusação, a mensagem dizia: "vou assassinar o novo presidente dos Estados Unidos. PS: vocês têm 48 horas para tentar evitar que isso aconteça".

Gutierrez, que mora na cidade de Cortez, no sudoeste de Colorado, não foi detido, mas as autoridades sabem onde ele mora, destacou o porta-voz do Ministério Público federal em Denver, Jeff Dorschner.

Ameaças vituais

O jovem Timothy Ryan Gutierrez não foi o único a ameaçar virtualmente o novo presidente dos EUA.

Em 17 de janeiro, um homem foi preso em Brookhaven, Missisipi, por ter ameaçado em um "chat" assassinar Barack Obama durante a cerimônia de posse, informou o Departamento de Justiça.

"O uso de chats (salas de bate-papo na internet) para ameaçar é tão criminoso como as ameaças verbais. As ameaças dessa natureza devem ser perseguidas rápida e fortemente", considerou o promotor Dunn Lampton na época.

No mesmo dia, um morador do Wisconsin (norte) foi preso por agentes dos serviços secretos, encarregados da segurança do presidente e pela polícia local.

"Decidi que assassinarei Barack Obama. Não é nada pessoal (...) mas sei que devo fazê-lo pelo bem do país", assegurou o homem em uma mensagem enviada no dia 11 de janeiro ao site alien-earth.org.

Ameaçar de morte o presidente dos Estados Unidos submete o autor a uma pena de cinco anos de prisão e a uma multa de 250.000 dólares. 

Leia mais sobre Barack Obama


    Leia tudo sobre: obama

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG