Jovem abre fogo contra escola alemã, mata ao menos 15 pessoas e morre durante fuga

WINNENDEN - Pelo menos 15 pessoas foram mortas - a maioria delas crianças - depois que um jovem armado abriu fogo em uma escola secundária na cidade de Winnenden, perto de Stuttgart, no sudoeste da Alemanha, e fugiu disparando contra pessoas pelas ruas, nesta quarta-feira, segundo fontes oficiais.

Redação com agências internacionais |

AP
Policiais observam a escola

Policiais observam a escola de Winnenden, onde o ataque ocorreu

O suspeito de cometer o crime, Tim K., um ex-aluno de 17 anos, fugiu em um carro roubado. Durante perseguição policial, houve um tiroteio e o jovem morreu. Ainda não está claro se ele foi morto ou se suicidou.

Ainda de acordo com a polícia, o jovem invadiu a escola por volta das 9h45 (hora local, 5h45 em Brasília) e começou a atirar a esmo, matando três professores e dez alunos. Ele vestia roupas de combate pretas e estava mascarado. Não há informações sobre o que teria motivado o ataque.

O número de feridos não está claro, mas a imprensa alemã afirmou que a escola é frequentada por cerca de mil alunos. A polícia chegou a afirmar que uma estudante ferida tinha morrido no hospital e elevado o número de vítimas fatais do atirador para 16. No entanto, o porta-voz Klau Hinderer negou a informação, dizendo que houve um "erro de comunicação".

Quando buscava o atirador, a polícia revistou sua casa, em uma cidade próxima. Uma das 16 armas de seu pai, membro de um clube de atiradores local, tinha desaparecido, segundo as autoridades.

Reprodução
Jornal alemão Bild publicou foto de Tim K.
Jornal alemão Bild publicou foto de Tim K.



O chefe de reportagem do jornal "Stuttgart Journal", Kevin Latzel, disse à BBC que há muita confusão no local do incidente. "É muito horrível. Os pais estão chorando, os alunos estão chorando e muitos policiais estão lá. Ninguém sabe realmente o que aconteceu", disse.

"Os alunos estão chamando os pais, que querem retirá-los (da escola) mas não podem, porque não receberam permissão para entrar nas salas de aula", acrescentou.

A chanceler alemã, Angela Merkel, disse estar "horrorizada, transtornada e atônita" com o caso e ofereceu todo o apoio de seu governo às autoridades locais. "É um dia de luto para toda a Alemanha", afirmou.

Este não é o primeiro ataque a uma escola na Alemanha. O pior deles ocorreu na cidade de Erfurt, no leste do país, em 2002, quando 17 pessoas morreram.


Leia também:


Leia mais sobre Alemanha

    Leia tudo sobre: alemanha

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG