Viena, 7 mai (EFE).- Um promotor do Estado federado da Baixa Áustria interrogou hoje pela primeira vez Josef Fritzl, que parece ter cooperado bem com as autoridades, segundo revelou o porta-voz da Promotoria, Gerhard Sedlacek.

Sedlacek disse à agência austríaca "APA" que o primeiro interrogatório de Fritzl foi focado em sua vida pessoal e que o acusado, detido desde 26 de abril, estaria "disposto a cooperar" com a Justiça.

O porta-voz disse que o conteúdo do interrogatório, de cerca de duas horas de duração, não será revelado, e acrescentou que o próximo acontecerá daqui a duas semanas.

Josef Fritzl está detido desde 28 de abril, na prisão de Sankt Pölten, capital da Baixa Áustria.

O aposentado, de 73 anos, manteve sua filha Elisabeth em cativeiro por 24 anos e abusou sexualmente dela de forma sistemática. Com ela, Fritzl teve sete filhos que nasceram no porão da casa da família, em Amstetten.

O caso foi abordado hoje no plenário do Parlamento austríaco, onde todos os partidos políticos exigiram que as penas para os criminosos sejam endurecidas.

O ministro do Interior austríaco, Gunther Platter, pediu hoje aos cidadãos de seu país que tenham mais coragem e denunciem atividades suspeitas na casa de seus vizinhos.

"Não quero um Estado-Polícia, como dizem alguns. Mas o certo é que muitas vezes as pessoas dizem: "isso não é assunto meu", afirma Platter perante os deputados. EFE jk/rr/gs

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.