Rio de Janeiro, 19 mar (EFE).- O governador de São Paulo, José Serra, favorito em todas as pesquisas, falou hoje abertamente pela primeira vez sobre sua candidatura para as eleições presidenciais de 3 de outubro.

Em entrevista à televisão, Serra confirmou que será o candidato do PSDB para as eleições presidenciais deste ano.

"Vou lançar minha campanha no início de abril", afirmou Serra, que foi criticado por companheiros de partido, entre eles o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, por atrasar o anúncio.

Enquanto Serra se mantinha em silêncio, a ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, anunciou candidatura em fevereiro, ganhando atenção da mídia mais cedo que o rival.

O governador paulista justificou não ter falado publicamente das eleições até agora para "não prejudicar" seu trabalho no Governo de São Paulo e avaliou que não é tarde para fazer o anúncio, já que a campanha eleitoral dura seis meses.

"As eleições aceleram depois da Copa, que é quando o povo fará avaliações mais pessoais dos candidatos", analisou Serra.

Segundo as últimas pesquisas publicadas esta semana, Serra lidera as intenções de voto com 35%, contra 30% de Dilma, candidata apoiada pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Serra comentou essas pesquisas dizendo que "era previsível" que Dilma ganhasse popularidade nesses últimos meses pela enorme exposição que teve na imprensa por seu cargo de ministra do Governo.

EFE mp/sa

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.