José Ramos-Horta volta ao Timor Leste

O presidente do Timor Leste, o prêmio Nobel da Paz José Ramos-Horta, voltou nesta quinta-feira a seu país, dois meses após ser gravemente ferido a bala em um atentado, e receber tratamento médico na Austrália, comprovou um correspondente da AFP.

AFP |

Várias personalidades do governo, entre eles o primeiro-ministro e herói da independência, Xanana Gusmão, foram receber o chefe de Estado no aeroporto de Dili.

Caminhando normalmente, porém bem mais magro, Ramos-Horta foi recebido no aeroporto por cerca de mil jovens, que usavam camisetas com a foto do presidente do Timor Leste ao lado do Papa Bento XVI.

Pelo menos 95% dos timorenses são católicos praticantes, e o presidente já anunciou que assistirá na manhã de domingo a uma missa na Catedral de Dili.

José Ramos-Horta derramou algumas lágrimas ao abraçar Taur Matan Ruak, o chefe das Forças Armadas do Timor Leste, antes de uma parada militar.

O presidente recebeu atendimento médico durante dois meses em Darwin, a grande cidade do norte da Austrália.

No dia 11 de fevereiro, rebeldes fizeram um duplo ataque, contra Xanana Gusmão, que escapou ileso, e José Ramos-Horta, que foi gravemente ferido.

Antes de se tornar presidente do Timor Leste, em 2007, José Ramos-Horta foi um incansável porta-voz internacional da resistência ao regime indonésio, que ocupou essa ex-colônia portuguesa entre 1975 e 1999.

seb/LR

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG