Jornalistas pedem investigação de ataque a repórter de TV paulista

Rio de Janeiro, 21 mai (EFE) - A organização internacional Comitê para a Proteção de Jornalistas e o Sindicato dos Jornalistas de São Paulo pediram hoje que as autoridades investiguem a fundo um violento ataque sofrido pelo jornalista Edson Ferraz da emissora TV Diário (afiliada à Rede Globo) no dia 15.

EFE |

O sindicato paulista pediu "rigor na investigação" do atentado contra o repórter, que escapou ileso de um ataque a tiros no último dia 15 perto de São Paulo, depois de receber ameaças relacionadas a uma matéria sobre corrupção policial na qual trabalhava.

A entidade expressou em comunicado sua preocupação com a integridade física dos profissionais do jornalismo no país, que, com freqüência cada vez maior, foram vítimas de ataques violentos em investigações sobre corrupção ou respeito aos direitos civis.

Desconhecidos atiraram no veículo de Ferraz quando o jornalista voltava para casa.

O Comitê para a Proteção de Jornalistas pediu em comunicado divulgado no Brasil que as autoridades investiguem "imediatamente o violento ataque" contra Ferraz, que tinha divulgado denúncias sobre supostas extorsões de policiais contra criminosos.

Na semana passada, a organização Repórteres Sem Fronteiras (RSF) também pediu "um esclarecimento rápida" do atentado.

A organização de defesa da liberdade de imprensa indicou em comunicado que o jornalista, de 25 anos, investigava um caso de corrupção e lavagem de dinheiro, no qual podem estar envolvidos 19 policiais da localidade de Mogi das Cruzes (SP). EFE bpr/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG