Jornalistas denunciam que liberdade na Venezuela é desastrosa

Caracas, 30 jan (EFE).- A situação da liberdade de imprensa na Venezuela foi considerada hoje uma área de desastre por três grupos de jornalistas do país, que denunciaram também uma perseguição do Governo Hugo Chávez a dois profissionais do setor.

EFE |

O Colégio Nacional de Jornalistas, o Sindicato Nacional de Trabalhadores da Imprensa e o Círculo de Repórteres Gráficos divulgaram hoje um comunicado em que dizem que não é tempo de "covardes", mas de exercer a cidadania com "integridade e dignidade".

Na nota, as agremiações expressam "total solidariedade e apoio" a Miguel Ángel Rodríguez e Laureano Márquez, acusados pelo Governo de incitar a violência através do canal de TV e do jornal em que, respectivamente, trabalham.

Embora no comunicado os jornalistas chamem o Governo "a refletir e retificar", acusam o regime chavista de tentar sufocar posturas críticas, bloquear fontes de informação e perseguir judicialmente profissionais do setor.

"Preocupados com o estado de direito e o cumprimento da lei, condenamos energicamente a repressão contra estudantes, universidades autônomas, empresários, jornalistas e a imprensa, o cerco sistemático existente na Venezuela a tudo o que não veste vermelho, através da institucionalização da violência seletiva fomentada desde o poder", conclui a nota. EFE ar/rr

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG