Jornalistas birmaneses são presos por possuírem relatório de direitos humanos

Bangcoc, 1 dez (EFE).- Dois jornalistas birmaneses foram condenados a penas de sete anos de prisão por oposição à Junta Militar por ter um relatório da ONU sobre a situação dos direitos humanos no país.

EFE |

Na sexta-feira passada, um tribunal de Yangun julgou culpados de ter vulnerado as normas do Ministério de Informação do país, informaram hoje meios de imprensa da dissidência na vizinha Tailândia.

Os condenados são Thet Zin e Sein Win Maung, redator chefe e editor, respectivamente, do semanário local "News Watch".

Foram enviados à mesma prisão no mesmo dia no qual em outro julgamento sumaríssimo realizado no notório presídio de Insein, 13 ativistas do grupo Geração 88 foram sentenciados a penas de seis anos de prisão por terem promovido a instabilidade da nação.

Nas últimas duas semanas, mais de cem opositores, entre eles intelectuais e monges budistas, foram condenados a passar em alguns casos até 68 anos na prisão por terem participado das manifestações antigovernamentais de setembro de 2007, brutalmente sufocadas pelos soldados birmaneses. EFE grc/ma

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG