Jornalista tenta impedir assassinato e é morta na Rússia

Moscou, 19 jan (EFE).- A jornalista Anastasia Baburova, da publicação quinzenal Novaya Gazeta, morreu devido aos disparos realizados hoje pelo assassino de Stanislav Markelov, advogado da família de uma jovem chechena assassinada por um coronel do Exército russo.

EFE |

O diretor da "Novaya Gazeta", Dmitri Muratov, confirmou que a repórter Anastasia Baburova tinha morrido no hospital, onde tinha sido internada em estado de coma, segundo a agência "Interfax".

Muratov informou que há duas versões para a morte da jornalista: homicídio premeditado ou que Baburova recebeu os tiros ao tentar deter o agressor.

Além disso, revelou que "duas horas antes" a jornalista tinha feito uma entrevista com o advogado e antecipou que seu conteúdo será publicado no semanário, onde também trabalhava Anna Politkovskaya, repórter muito crítica à política do Kremlin na Chechênia e que foi assassinada em outubro de 2006.

Baburova acompanhava Markelov quando este foi baleado perto de uma estação de metrô em Moscou.

"O criminoso se aproximou correndo por trás de Markelov e de sua acompanhante, Anastasia Baburova, e atirou em sua nuca. A mulher tentou impedir o criminoso, e este disparou nela", disse um porta-voz da Polícia citado pela agência oficial russa "RIA Novosti".

O advogado acabava de dar uma entrevista coletiva na qual decidiu retomar a perseguição judicial do ex-coronel Yuri Budanov, condenado em 2003 a dez anos de prisão pelo sequestro e assassinato da jovem chechena Elsa Kungayeva, e que, na semana passada, foi libertado.

EFE io/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG