Jornalista que jogou sapatos em Bush só será libertado amanhã

Bagdá, 14 set (EFE).- O tribunal penal que julga o jornalista iraquiano Muntazer al-Zaidi, condenado a um ano de prisão por jogar seus sapatos no ex-presidente dos Estados Unidos George W.

EFE |

Bush, teve hoje a libertação adiada para amanhã, informou à Agência Efe um advogado do repórter.

Diaa al-Saadi, chefe da equipe de defesa de Zaidi, disse que a libertação do jornalista que estava prevista para hoje foi adiada até amanhã, e não ofereceu explicações do motivo do atraso.

Em 14 de dezembro, Zaidi jogou seus sapatos no então presidente americano George W. Bush quando este oferecia uma entrevista coletiva conjunta com o primeiro-ministro iraquiano, Nouri al-Maliki, em Bagdá.

"Este é o beijo de despedida, cachorro!", gritou Zaidi nessa entrevista coletiva, na qual realizou dois gestos - jogar os sapatos e chamar alguém de cachorro - considerados graves ofensas no Iraque e no resto do mundo muçulmano.

Em março, um tribunal condenou Zaidi a três anos de prisão, ao considerá-lo culpado de cometer um ato hostil contra um chefe de Estado estrangeiro, crime previsto no artigo 223 do Código Penal iraquiano.

No entanto, um mês depois, um tribunal de apelação reduziu a pena para um ano, ao considerá-la excessiva e levar em conta as circunstâncias nas quais aconteceu o incidente e o estado psicológico do jornalista quando cometeu o ato, que, segundo ele, cometeu em consequência da ocupação americana do Iraque.

Zaidi, repórter do canal de televisão por satélite "Al Baghdadia", se transformou, com seu gesto, em um símbolo da luta contra a ocupação americana do Iraque, onde, para muitos, é um "herói nacional". EFE am/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG