Jornalista que jogou sapato em Bush é condenado a três anos de prisão

O jornalista iraquiano que atirou seus sapatos em George W. Bush durante uma visita do então chefe de Estado americano a Bagdá foi condenado nesta quinta-feira a três anos de prisão.

BBC Brasil |

Muntadar al-Zaidi, tido como um herói no mundo árabe, foi acusado de agredir um chefe de Estado estrangeiro em visita oficial, que prevê pena de até 15 anos de detenção. Ele se declarou inocente no tribunal em Bagdá, e disse: "Minha reação foi natural, como a de qualquer iraquiano".

Seus advogados defenderam que ele estava simplesmente refletindo a
opinião de um país ainda revoltado com a invasão do Iraque liderada
pelos Estados Unidos em 2003, e ocupação que se seguiu. Os advogados também pediram que as acusações fossem rejeitadas, argumentando que o incidente nunca colocou Bush em sério perigo.

Bush, que fez a viagem a Bagdá em dezembro antes de passar a Presidência para o seu sucessor, Barack Obama, havia minimizado o incidente.

Ao lançar os sapatos em uma entrevista coletiva em Bagdá no dia 15 de dezembro, Zaidi gritou que Bush era "um cachorro" e que este era "um beijo de despedida" dos mortos, órfãos e viúvos do Iraque.

Bush abaixou-se quando os sapatos foram lançados e não parecia perturbado com o incidente, brincando pouco depois que tinha notado que os calçados eram do "tamanho 10".

Zaidi foi preso imediatamente depois do incidente. Seus advogados dizem que ele foi espancado pelos guardas na prisão, embora aparentasse boa saúde ao comparecer às audiências judiciais.

O governo do Iraque qualificou o ato de Zaidi como "vergonhoso". Na cultura árabe, agredir alguém com um sapato é considerado um insulto gravíssimo. Após o incidente, Zaidi ganhou fama e manifestações de apoio em vários países do mundo árabe e também em outras partes do mundo.

Assista ao vídeo da "sapatada" em Bush


Leia também:


Leia mais sobre Bush

    Leia tudo sobre: bush

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG