Jornalista é condenado por suposta crítica ao governo do Equador

QUITO (Reuters) - Uma juíza do Equador condenou a três anos de prisão um jornalista de uma publicação local crítica do governo, acusando-o de injúrias caluniosas contra um alto funcionário, informou nesta sexta-feira um canal local de televisão. Emilio Palacio, diretor de Opinião do jornal El Universo, foi acusado no tribunal local de ter publicado um artigo fazendo menção a Camilo Samán, uma autoridade do governo.

Reuters |

A juíza encarregada do caso, Carmen Arguello, emitiu seu parecer quatro dias depois de ter feito uma audiência, disse o canal Ecuavisa em sua página na Internet.

"Em razão de que existem agravantes dentro do processo (...) imponho a pena de três anos de prisão", segundo a sentença publicada na página do jornal El Universal na Internet.

A juíza também determinou um pagamento de 10 mil dólares como honorários profissionais do advogado que apresentou a demanda.

Palacio, que enfrenta outros processos, poderá recorrer da decisão.

(Reportagem de Alexandra Valencia)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG