Jornalista é condecorado por salvar vida de soldado no Afeganistão

Washington, 28 jan (EFE).- O jornalista Chris Jackson recebeu uma condecoração de honra por salvar a vida de um infante da marinha no Afeganistão após um atentado contra o veículo no qual viajavam, informou hoje o Pentágono.

EFE |

Jackson, que trabalhava como câmara para a "Fox", viajava como jornalista em um veículo do Exército americano quando uma bomba caseira de mais de 20 quilos explodiu, em 3 de agosto do ano passado.

A explosão feriu o sargento Courtney Rauch, comandante da missão, e o deixou inconsciente.

Os outros passageiros conseguiram escapar antes de o veículo se incendiar, mas o jornalista, que foi ferido por estilhaços, voltou para salvar o sargento.

Rauch agradeceu a ação do cinegrafista em comunicado divulgado pelo Pentágono, no qual assegurou que "sem a rapidez de Chris e seu ato heroico teria perdido a vida naquele dia".

"Chris se esqueceu de que era um repórter e se transformou em um de nossos irmãos ao agir como um de nós. Chris foi além de seu dever", acrescentou.

Jackson recebeu a condecoração das mãos do general Paul Lefebvre, subcomandante geral para o Corpo Multinacional no Iraque, em um ato que na base militar de Camp Victory, nos arredores de Bagdá.

Lefebvre, que tem um filho na mesma companhia em que Jackson viajava, assegurou que seu próprio filho lhe contou a história e destacou o nível de "coragem e compromisso" do jornalista.

O câmara, que agora trabalha para a "CNN", recebeu por sua ação o segundo prêmio mais alto concedido pela Marinha aos civis.

O jornalista agradeceu a condecoração e assegurou que não pensou duas vezes antes de agir.

"Vi o que estava acontecendo e nem pensei em pegar a câmara e filmar (...) só fiz o que qualquer outra pessoa teria feito quando vê que alguém está em uma situação como essa", disse Jackson. EFE elv/mh

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG