Publicidade
Publicidade - Super banner
Mundo
enhanced by Google
 

Jornalista argentino que estava desaparecido na Bolívia é encontrado

La Paz, 14 abr (EFE).- O jornalista argentino Fernando Cola, que foi dado por desaparecido na noite de domingo no sudeste da Bolívia, no meio de um enfrentamento por terras, foi encontrado hoje e está em um regimento da região, informou à Agência Efe a embaixada da Argentina.

EFE |

O ministro da Defesa boliviano, Wálker San Miguel, comunicou a aparição do jornalista ao embaixador argentino, Horacio Macedo, conforme indicou uma fonte da delegação.

Segundo o relatório, Cola se encontra "em um estado aparentemente bom" em um regimento militar da localidade de Cuevo e será retirado da região quando as autoridades bolivianas possibilitem.

Por sua vez, o também argentino Leonardo Tamburini, diretor do Centro de Estudos Jurídicos e Investigação Social (Cejis), entidade onde trabalha Cola, comentou à Efe que embora tenha sido encontrado, sua situação ainda é confusa.

"Poderíamos dizer que foi encontrado, mas não se sabe nem quando vai sair, nem se está ferido, nem temos certeza de quando será retirado em uma situação que não está controlada", disse Tamburini.

Cola e sua companheira de trabalho, a jornalista boliviana Tanimbu Extremadoiro, acompanhavam uma comitiva governamental que tentou entrar em uma zona bloqueada por fazendeiros e habitantes que resistem a uma revisão de seus títulos sobre a terra.

Cola e Extremadoiro realizam um documentário sobre o conflito de terras nessa região, onde o Governo denunciou a existência de servos e escravos guaranis, para o Cejis e a ONG dinamarquesa Grupo Internacional de Trabalho com Povos Indígenas.

Segundo o Governo, a quantidade de desaparecidos chegava hoje à tarde a sete, depois que as versões preliminares disseram que eram 11, incluindo os dois jornalistas.

Além disso, outras 53 pessoas, entre elas muitos guaranis, ficaram feridas, no que o Governo qualificou de "emboscada" dos fazendeiros e grupos de choque autonomista do departamento de Santa Cruz que se opõem à reforma agrária no lugar. EFE ja/fb

Leia tudo sobre: iG

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG