Jornal revela atas sobre crimes sexuais cometidos por Josef Fritzl

Viena, 2 mai (EFE).- O austríaco Josef Fritzl, de 73 anos e que está em prisão preventiva por ter mantido a filha trancada por 24 anos e abusado sexualmente dela, cometeu vários crimes sexuais nos anos 60, segundo atas da Polícia e da Justiça encontradas por um jornal austríaco.

EFE |

Segundo o jornal regional "Oberösterreichischen Nachrichten" ("OÖN"), a documentação revelaria que Fritzl foi detido por violentar uma mulher, quando já tinha sido fichado por outra tentativa de estupro e um crime de exibicionismo.

"Um relatório anual da Polícia de Linz de 1967, ao qual o 'OÖN' teve acesso exclusivo, mostra que Josef F. foi detido naquele ano como agressor sexual", afirma o jornal.

"Há dias, as autoridades da Baixa Áustria afirmam não saber nada de eventuais crimes passados do suspeito no caso de incesto de Amstetten. Mas, desde quarta-feira, é certo que sabem dos casos de 1967", acrescenta.

Entre outros, afirma que "existe ainda" uma ata judicial sobre um estupro cometido por Josef Fritzl de uma mulher da cidade de Linz, capital do estado federado da Alta Áustria, em outubro de 1967, e lembra que o "OÖN" publicou na terça-feira passada uma entrevista com essa vítima.

O crime prescreveu, mas a ata estava no Arquivo Regional da Alta Áustria, onde normalmente são guardados os documentos do Tribunal Regional, e ali ficam abertos para que a população possa consultá-los por um prazo de 50 anos.

Segundo o jornal, na quarta-feira passada, a citada ata foi entregue à Procuradoria de Sankt Pölten, responsável pelas investigações sobre o pior caso de abuso e incesto conhecido na Áustria, mas nem o Arquivo Regional nem as autoridades jurídicas ou policiais confirmaram essa informação até agora.

"Naturalmente, estes fatos passados e documentados têm uma relevância no caso atual. Mas ainda não sabemos o que há nele (nos documentos) e temos que estudá-los atentamente", disse uma fonte de Sankt Pölten (capital do estado da Baixa Áustria) ao jornal.

O relatório anual da Direção de Polícia de Linz correspondente ao ano de 1967 inclui informação de que, em setembro daquele ano, Josef Fritzl tentou levar para uma floresta e estuprar uma mulher de 21 anos.

O próprio jornal informou sobre o caso na época, em 27 de outubro de 1967, em artigo no qual também são lembrados outros crimes anteriores que Fritzl teria cometido.

"Para a Polícia de Linz, o homem não era mais um desconhecido devido a dois crimes: F. já estava registrado na Polícia por exibicionismo uma vez e outra por tentativa de estupro", afirma o "OÖN", citado seu próprio artigo de 41 anos atrás.

Além disso, outra mulher, de 61 anos e também de Linz, ligou na quarta-feira para o "OÖN" e disse ter sido estuprada por Fritzl em 1967.

A mulher disse que reconheceu o agressor em 100%, mas pediu que sua identidade não fosse revelada e explicou que, "por vergonha", nunca fez uma denúncia à Polícia.

Josef Fritzl foi detido no domingo passado na pequena localidade austríaca de Amstetten, acusado de ter mantido trancada em um porão durante 24 anos sua filha Elisabeth, que hoje tem 42 anos, e de tê-la estuprado sistematicamente, gerando sete filhos com ela. EFE wr/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG